Câncer Digestivo: o melhor caminho é o diagnóstico precoce

imagens de tumores gástricos precoce e avançado

Imagem 1 e 2: Tumores Precoces no Estômago; 3: Tumor Gástrico Avançado.

Quando um tumor é maligno, fala-se que é um câncer. Os tumores malignos do aparelho digestivo representam uma grande parcela dos tumores nas pessoas e, quando eles são descobertos tardiamente, as chances de cura diminuem como também a qualidade de vida desses pacientes.
Os principais tumores malignos digestivos são as neoplasias de esôfago, estômago, cólon e reto.

Diagnóstico Precoce

Quando um tumor é descoberto no início, confirmando seu diagnóstico precoce, a recuperação pós-operatória é mais rápida. A possibilidade de preservar o órgão em que ocorreu o tumor é maior, o que resulta na preservação da qualidade de vida do paciente.
O importante é estar informado para que os riscos sejam menores. Saber o que causa cada neoplasia digestiva e, tomar os devidos cuidados, faz cair muito o risco do paciente desenvolver o câncer digestivo. Se um paciente que tem probabilidade de desenvolver esse tipo de câncer está ciente desse risco, é provável que ele faça exames periódicos para que, caso surja um tumor, seja descoberto ainda no início, aumentando as chances de cura.

Indicações

  1. Todo paciente com idade superior a 50 anos deve fazer um rastreamento do câncer colorretal, independente da presença ou não de sintomas. Os pólipos intestinais, que são as principais lesões pré-malignas, costumam estar presentes em até 20% da população com idade superior a 50 anos;
  2. Pacientes com alto risco para câncer colorretal são os que tem história familiar deste câncer. Nesses casos, esse rastreamento deve ser iniciado em idades mais precoces e os controles devem ser realizados em intervalos de tempo mais curtos.
  3. Grupos de alto risco como os portadores de lesões pré-cancerosas devem estar atentos em relação às neoplasias de esôfago e estômago. Nesse grupo de pacientes é de grande importância identificar dentre outros fatores, a infecção pela bactéria Helicobacter Pylori.

O IAD está equipado com tecnologia de ponta, equipe altamente especializada e qualificada para o rastreamento do câncer digestivo. A estrutura do IAD permite o acompanhamento de todas as fases do tratamento, desde o tratamento endoscópico e laparoscópico das formas iniciais até mesmo o tratamento cirúrgico convencional e também o quimioterápico.

Fonte: Entrevista aos médicos Dra. Daniela Milhomem, Dr. José Eduardo Mekdessi e Dr. Leonardo Milhomem, pertencentes ao Corpo Clínico do IAD.